terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Resenha Crítica sobre Ética

                                                                                                                                          Por: Aparecida



                   Lendo esse texto parei para refletir sobre o que de fato entendemos sobre Ética, que tipos de conceitos têm implícito em nossas mentes sobre o que de fato significa essa palavra tão falada e tão pouco usada.
                  Confesso, pesquisei na internet, vasculhei alguns sites, mas percebi uma coisa: alguns dos sites pesquisados são vagos, trazem uma noção muito superficial do que realmente seja Ética. Penso que no atual contexto verifico que está cada vez mais extinta não só a palavra em si como o real significado que ela representa. Os diversos escândalos envolvendo as pessoas que elegemos para os cargos importantes, toda a sujeira que nos rodeia nos remete a uma questão: o que as pessoas sabem realmente sobre Ética e Moral?
                  A questão é mais ampla. Não é só o significado da palavra que é importante, sabemos qual a definição de Ética: é o ato de refletir antes de agir, o julgamento de nossas ações para sabermos se são boas ou más; é a nossa Consciência Moral, a oportunidade de pensar sobre nossas ações e qual será o impacto delas na nossa vida e na vida das pessoas que nos rodeiam. Está diretamente ligada ao caráter do indivíduo, a Moral que é definida como um conjunto de normas, princípios, preceitos, costumes, valores que norteiam o comportamento do indivíduo no seu grupo social. Enquanto que a Ética é subjetiva, a Moral é normativa. Designar, denominar... Isso é deveras fácil. Mas será que temos consciência realmente sobre as ações diárias? O que será que nos difere dos demais animais que vivem sobre o planeta terra? E por que será que nós, seres racionais não colocamos em prática esses princípios sempre? Por que será que não pensamos nos nossos atos antes de fazê-los? Simples: somos impulsivos, imediatistas, por que não falarmos, egoístas.
    Costumamos pensar primeiro em nós mesmos para depois pensar nas outras pessoas. Isso é errado? É antiético? Conseguimos mesmo ter esse comportamento altruísta sempre ou somente em determinadas ocasiões? São várias questões que envolvem o ser e o pensar Ético. Muitos inclusive falam que inexiste a questão Ética em nossos dias, tratam-na como utopia, ilusão. O problema é que não costumamos refletir e buscar os “porquês” de nossas escolhas. Agimos por força do hábito, dos costumes e das tradições, impondo como naturais às realidades social, política, econômica e cultural. Mais precisamente não fazemos Ética por que não costumamos criticar nossas ações.
    A Ética não é algo superposto à conduta humana, pois todas as nossas atividades envolvem uma carga moral. Idéias sobre o bem e o mal, o certo e o errado, o permitido e o proibido, o que posso ou não fazer definem a nossa realidade, o que de fato somos.
   Em nossas relações cotidianas estamos sempre diante de problemas do tipo: Devo sempre dizer a verdade ou existem ocasiões em que posso mentir? Será que é correto tomar tal atitude? Devo ajudar um amigo em perigo, mesmo correndo risco de morte? Essas e outras questões nos colocam frente a problemas práticos que aparecem nas relações entre os indivíduos e que geralmente sua possível solução nunca envolve somente uma pessoa, mas sim todo um grupo de pessoas ou uma comunidade.
  “Ninguém é uma ilha”, a existência de um só homem depende de vários... Uma só atitude impensada afeta todos que nos rodeiam. Neste convívio social precisa haver regras, normas que conduzam todos os seres a uma existência pacífica e harmônica. A existência do homem sobre a terra depende dessa completa capacidade de nos interagirmos uns com os outros. Isso de fato é o que para mim significa Ética.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário